32º EDEQ – Encontro de Debates sobre Ensino de Química

INSCRIÇÕES E SUBMISSÕES DE TRABALHOS FORAM PRORROGADAS ATÉ O DIA 15 DE AGOSTO DE 2012

 

INSCRIÇÕES E SUBMISSÕES DE TRABALHOS FORAM PRORROGADAS ATÉ O DIA 15 DE AGOSTO DE 2012

http://www.ufrgs.br/edeq2012/

Professor Agostinho Serrano cedeu entrevista para Blog Cientista Didático

A entrevista de hoje é com o educador em ciências que iniciou sua trajetória acadêmica nas áreas “puras”, mas migrou para a área de ensino há doze anos: Agostinho Serrano de Andrade de Andrade Neto. Formado em Física pela UFPE, fez seu doutoramento na área de Física Atômica e Molecular/Química Quântica na USP, realizando modelagem computacional de moléculas isoladas e em meio solvente. Após ter vindo para a ULBRA em 2001, migrou para a área de ensino e fez um pós-doutoramento na área de Ensino junto ao Prof. Marco Antônio Moreira no Instituto de Física da UFRGS. Analisando seu  Currículo Lattes podemos perceber seu envolvimento com as Tecnologias da informação e comunicação aplicadas ao Ensino de Ciências, seu principal foco de investigação, em especial é o uso de simulações e modelagem aplicadas ao ensino de física e química, tendo publicado na área de modelagem tanto em física e química pura como em ensino. O professor Agostinho é atualmente professor do PPGECIM da ULBRA, onde atua na formação de mestres e doutores na área.

Vejamos a entrevista, que foi respondida por e-mail:

Cientista Didático: Você atribui algum papel para a didática no desenvolvimento da ciência e da tecnologia?

Agostinho Serrano: Esta é decerto uma pergunta profunda! A didática é uma tentativa de se compreender, estudar e sistematizar métodos para o ensino de algo, e no caso da ciência e tecnologia, no ensino das mesmas. É inegável que o fazer científico atual – que requer o esforço conjunto de centenas ou milhares de cientistas, como podemos ver, dentro de um exemplo atualíssimo do esforço para detecção e caracterização do que seria o Bóson de Higgs – seria impossível se não houvesse um esforço didático aplicado à ciência e tecnologia, o que possibilita a formação em massa de muitos cientistas. Também podemos pensar o processo inverso: utilização da ciência e tecnologia aplicadas à didática.
Cientista Didático:  Na história da ciência de sua disciplina você poderia indicar algum cientista que tenha colaborado bastante com o desenvolvimento do ensino e da didática (da química, por exemplo)?
Agostinho Serrano:Dois nomes me saltam à memória quando li a pergunta: Richard Feynmann e Lev Davidovich Landau. O primeiro conhecido tanto pela sua forma original e não ortodoxa de fazer e ensinar física (conforme ele, herdada do seu pai) e do seu senso de humor afiadíssimo (também como o próprio afirma, herdado de sua mãe). O segundo conhecido por ser rigorosíssimo no que concebia ser “conhecimento mínimo em física” – elaborou um teste que em pouco menos de 30 anos apenas 43 candidatos passaram.
Feynmann e Landau publicaram livros didáticos em física, que ainda hoje são utilizados por estudantes e que mostram o insight que os mesmos possuíam. Uma curiosidade é que ambos participaram do programa nuclear de seus países de origem, EUA e URSS.
Cientista Didático:Como você se aproximou da didática das ciências?
Agostinho Serrano:Me aproximei da didática das ciências após ingressar no PPGECIM da ULBRA. Até então trabalhava em uma área de interface entre a física e a química: de um lado chamada de física atômica e molecular e do lado oposto da cerca de química quântica. Uma das áreas didáticas que me fascinou foi a Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem, em especial pela Psicologia Cognitiva; bem como tive um fascínio natural pelo desafio que é a metodologia de pesquisa em humanidades, que requer uma percepção aguda das reações humanas e uma resposta pronta quando realizamos entrevistas, de forma que tenhamos dados interessantes para responder nossas perguntas de pesquisa. Posso dizer que o conhecimento implícito que é utilizado no pensar é o que me mais fascina, e a investigação disto o que mais me motiva atualmente – fazendo uma analogia com um iceberg, o conhecimento verbalizado e escrito durante o ensino e a aprendizagem me parece cada vez mais com a “ponta do iceberg” para a compreensão dos problemas de aprendizagem.
Cientista Didático:Qual a sua opinião em particular sobre a importância da didática na formação do professor de Ciências?
Agostinho Serrano: Dito de forma bem simples, direta e dura: O ensino da didática como disciplina divorciada das ciências pode até ser prejudicial, tanto que frequentemente é rejeitada pelo professor de ciências durante a sua práxis. Por outro lado, quando a didática de cada disciplina é ensinada, uma inseparável da outra, sinto que os professores aceitam a didática de forma quase “visceral”, não apenas do pescoço para cima, mas mudando-os como um todo, como diria Rogers.
Cientista Didático: Hoje os professores se deparam com a necessidade da “alfabetização digital” em todos os níveis de ensino. Qual sua opinião sobre as tecnologias de informação e comunicação no processo de ensino – aprendizagem em Ciências?
Agostinho Serrano: As TICs são parte essencial e inseparável do mundo atual. Elas estão possivelmente provocando mudanças cognitivas importantes que mal conseguimos vislumbrar. Existem dados que indicam que as pessoas estão cada vez mais capazes de visualizar internamente imagens estáticas e dinâmicas, e que esta capacidade foi adquirida principalmente ao ter contato tanto com as TICs como pela modificação cultural provocada pelas TICs – pense em como a MTV apresenta informação quando comparada com o mesmo tipo de veículo 30 anos atrás, a primeira com uma carga de informação visual que provavelmente seria rejeitada cognitivamente por jovens da década de 50, quando a televisão foi popularizada no mundo inteiro. Para ser franco, a pergunta quase não faz sentido, pois argumentar a favor de um “ensino sem TICs”, hoje em dia, soa como um bucolismo utópico.
Cientista Didático:Como você entende que deva ser trabalhado o ensino de sua disciplina hoje em dia?
Agostinho Serrano: Não irei falar em “utilização plena e consciente de TICs, etc”, mas irei utilizar uma palavra-chave: tanto para a física como para a química, a visualização parece ser um alvo a ser atingido, na direção do que seria o Graal do ensino de física e química: a modelagem, e as TICs parecem ser a ferramenta adequada para conseguirmos este objetivo. Outra coisa importante é explorar as redes sociais, como o Cientista Didático se propõem a fazer.
Fonte: Daniele Raupp – http://www.cientistadidatico.com.br/2012/07/entrevista-com-agostinho-serrano.html?spref=fb
Daniele Raupp é Doutoranda em Educação em Ciências PPGQVS – UFRGS. Possui graduação em Química Licenciatura pela Universidade Luterana do Brasil – ULBRA (2007) e mestrado em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Luterana do Brasil – ULBRA (2010)

Programa incentiva a formação de professores – PIBID

 

Convênio entre a ULBRA e prefeituras fomentará a educação

 

Incentivar a formação de professores para a Educação Básica e elevar a qualidade da escola pública. Esses são os principais objetivos do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) do Ministério da Educação, gerenciado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Sob o tema Sustentabilidade e Cidadania, a Universidade Luterana do Brasil teve seu projeto aprovado junto a Capes, que contemplou o desenvolvimento do programa em três municípios onde há unidade de ensino superior da Instituição: Cachoeira do Sul, Canoas e Santa Maria.

O Pibid atuará nas escolas indicadas pelas Secretarias Municipais de Educação por meio de alunos dos cursos de licenciatura da Universidade. A ideia é que os participantes, inseridos no cotidiano das escolas da rede pública, planejem e participem de experiências metodológicas, tecnológicas e de práticas docentes de caráter inovador e interdisciplinar. Além de também buscarem a superação de problemas identificados no processo de ensino-aprendizagem.

Segundo a coordenadora Institucional do PIBID na ULBRA, professora Graziela Macuglia Oyarzabal (na foto), ao todo, as equipes de nove áreas do conhecimento serão formadas por aproximadamente 120 estudantes de graduação. Também participarão cerca de 20 professores das escolas públicas conveniadas (supervisores), além dos coordenadores de área (professores da Universidade). Para integrar o programa, cada membro das equipes receberá uma bolsa mensal da Capes. Os alunos receberão R$ 400,00 por, no mínimo, 8 horas semanais de atividades na escola; já os supervisores têm bolsa de R$ 765,00.

De acordo com o coordenador do curso de História do campus de Canoas, Roberto dos Santos, a bolsa funciona como um auxílio financeiro para o aluno, que trabalha no contraturno para seu sustento. Já a participação no programa o estimula na formação, assim como também o aproxima da prática da docência. “Ter o PIBID é a prova de que a Universidade está integrada e comprometida na comunidade na qual está inserida e com a educação. Outro benefício é a aproximação do aluno de uma instituição particular com o mercado de trabalho, mais cedo do que o habitual. Ele sai do curso com experiência da sala de aula e das atividades escolares”, complementa o incentivador do programa.

A ULBRA e as prefeituras de Cachoeira do Sul, Canoas e Santa Maria firmaram convênio na segunda quinzena de julho, constituindo o programa nos municípios por um ano, podendo ser renovado por mais um.

      Canoas tem nove escolas no PIBID

Nove escolas da rede municipal de Canoas irão receber bolsistas do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência por intermédio do convênio firmado no último dia 24. De acordo com a gerente do Programa de Qualidade e Valorização da Educação Municipal (PQVEM), Sônia Rosa, a parceria acontece por que o município tem como premissa a responsabilidade pela qualidade do ensino na rede de ensino. Nessa direção, a autonomia e fortalecimento da gestão dos processos educacionais, o aprimoramento dos profissionais da educação; o crescimento epistemológico, social e cultural dos alunos e a integração entre a mantenedora e demais instituições que compõem o cenário educacional canoense se constituem como redes desencadeadoras de múltiplas ações. “Dessa forma, conseguimos aproximar os diferentes programas e projetos com suas metas e estratégias claras e focos direcionados aos melhores resultados na esfera educacional. Assim, a parceria entre a Secretaria Municipal de Educação e a Universidade Luterana do Brasil, no PIBID, reitera compromissos educacionais assumidos por esta gestão”, finaliza a professora.

 

FONTE: ACS ULBRA

http://www.ulbra.br/imprensa/noticia/acontece/3072/programa-incentiva-a-formacao-de-professores/

Universidades americanas oferecem mais de 100 cursos online gratuitos

O fenômeno de expansão da educação online ultrapassou novas fronteiras com a chegada, no início deste ano, da Coursera, uma empresa americana que faz parceria com as melhores universidades do mundo e oferece cursos online de graça.

Inicialmente, a organização firmou parcerias com 13 universidades americanas e três estrangeiras, entre elas as cobiçadas universidades de Princeton e Stanford, oferecendo cerca de 43 cursos nas mais diversas áreas, incluindo tecnologia, ciências humanas, saúde e astronomia.

O lançamento oficial da organização foi em abril. Poucas semanas depois, a Coursera já contava com cerca de 700 mil alunos participando dos chamados ‘cursos massivos abertos online’ (MOOC, sigla em inglês).

Nesta semana, a Coursera anunciou que, nos próximos meses, o número de cursos disponíveis passará de 100 e, entre as novas universidades parceiras, estão o Instituto de Tecnologia da Califórnia, as Universidades de Duke, de Johns Hopkins e outras renomadas instituições de ensino nos Estados Unidos, Escócia, França e Canadá.

site dos cursos

Fonte: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2012/07/universidades-americanas-oferecem-mais-de-100-cursos-online-gratuitos.html

ESERA 2013

 

Aberta a chamada de trabalhos, até 31/01/2013, para a 10th Conference of the European Science Education Research Association (ESERA).

ESERA2013 é a 10 ª Conferência bienal da European Science Education Research Association (ESERA).

O tema deste ESERA será o Ensino baseado em evidências e coerência de aprendizagem, destacando aspectos de grande relevância na pesquisa contemporânea da ciência da educação: a necessidade de refletir sobre as diferentes abordagens para melhorar o nosso conhecimento dos processos de aprendizagem e o papel do contexto, concebidas ou circunstancial, formal ou não formal, na educação e instrução.

O Evento ocorrerá de 2 – 7 de setembro de 2013, na cidade Nicósia, na Republica do Chipre.

acesse as datas Importantes aqui!

Novo número da Revemat

Divulgamos a nova publicação da Revemat – Revista Eletrônica de Educação Matemática.

A Revista acaba de publicar mais um número em http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/revemat.

Convidamos a todos para navegar no sumário da revista para acessar os artigos e itens de interesse.

Neste número, a publicação de mais duas traduções de Raymond Duval. Com o artigo publicado em 2011.1, acabamos de publicar todos os artigos iniciais da sua teoria que datam de 1988.

Energia e impacto ambiental foram temas de palestras professora da ULBRA levou seu conhecimento para a escola

A professora do curso de Química e do PPGECIM da ULBRA, Tânia Prochnow, palestrou sobre energia e impacto ambiental para os estudantes do Ensino Médio e Técnico do Instituto Estadual de Ensino Pereira Coruja, de Taquari, no interior do Rio Grande do Sul. O evento, que surgiu através do convite da empresa produtora de defensivos agrícolas Milenia, foi realizado na última segunda-feira (09.07). Além da palestra, profissionais da Universidade aproveitaram para divulgar o próximo vestibular para os 98 presentes na atividade.

Fonte: ACS ULBRA

XVI EBRAPEM – Encontro Brasileiro de Estudantes de Pós-Graduação em Educação Matemática

Local: UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL, Canoas/RS

Período de realização: 12 a 14 de novembro de 2012

O EBRAPEM – Encontro Brasileiro de Estudantes de Pós-Graduação em Educação Matemática promove há 15 anos discussões sobre pesquisas em Educação Matemática, tendo como foco principal a participação dos estudantes de mestrado e doutorado. Para tanto, são promovidas conferências, mesas redondas, seções de trabalhos, a partir de temáticas específicas. O XVI EBRAPEM tem como temática norteadora: As Tintas da Pesquisa em Educação Matemática nos Papéis Sociais, que tem a finalidade de tratar, entre outros objetivos, da responsabilidade social dos educadores matemáticos.

Organização:

 

Estudantes: Alexandre Branco Monteiro, Andrielly Viana Lemos, Celina Amélia da Silva, Clarissa de Assis Olgin, Cristian Douglas Poeta, Denílson José Seidel, Jamille Mineo, Joseide Justin Dallemole, Lélia de Oliveira Cruz, Lenice Mirandola da Rocha, Lucas Gabriel Seibert, Lucas Vanini, Solange Mussato, Tania Elisa Seibert, Vanderlei Adriano Petry, Vania Ribeiro, Vinícius Pazuch

Professor Responsável: Prof. Dr. Maurício Rosa

Layout do Site: Conrado de Paula, Rodrigo Brasil dos Reis

mais Informações: http://matematica.ulbra.br/xviebrapem/

Professor Renato Pires dos Santos apresentará no CINTED 2012

Renato Pires dos Santos, docente e pesquisador do PPGECIM da Ulbra apresentará o trabalho ‘TATI – Uma interface textual amigável para o Second Life’ no próximo dia 13 de julho às 11h no XIX Ciclo de Palestras sobre Novas Tecnologias na Educação no CINTED da UFRGS.

o evento:

A XIX edição do Ciclo de Palestras Novas Tecnologias na Educação será realizado pelo CINTED- Centro Interdisciplinar de Novas Tecnologias na Educação em conjunto com o Programa de Pós-Graduação em Informática na Educação da UFRGS,  de 10 a 13 de julho de 2012, em Porto Alegre-RS.

Esta série de eventos, que iniciou em 2003,  tem como meta promover/disseminar o uso de novas tecnologias na Educação, com especial ênfase à tecnologia da informação e comunicação (TIC).

Autores são convidados a submeterem artigos inéditos, que não tenham sido publicados e nem estejam em processo de publicação em outros eventos ou periódicos.

A temática dos artigos pode envolver relatos, estudos, pesquisas e resultados derivados da atividade docente e de pesquisa relacionada com o uso da TIC na Educação.

(Fonte: http://www.cinted.ufrgs.br/)

Está aberta a chamada de trabalhos para o SIMSOCIAL 2012

O evento tem como tema Práticas Interacionais em Rede e pretende agregar pesquisadores, professores e estudantes universitários, além de profissionais de instituições relacionadas ao campo da Cibercultura.

Os trabalhos devem estar de acordo com a proposta de algum dos cinco Núcleos Temáticos: Sociabilidade, novas tecnologias e práticas interacionais (NT 1); Sociabilidade, novas tecnologias, consumo e estratégias de mercado (NT 2); Sociabilidade, novas tecnologias, política e ativismo (NT 3); Sociabilidade, novas tecnologias, educação e aspectos cognitivos (NT 4); Sociabilidade, novas tecnologias e práticas colaborativas de produção de conteúdo (NT 5).

Para realizar a submissão de artigos, cheque a seção de Submissão. Os valores, as normas para submissão e a ementa dos núcleos temáticos também se encontram nessa mesma página.

O processo de submissão será realizado a partir do envio de trabalhos completos, no período de 13 a 30 de julho. O resultado dos trabalhos aceitos será divulgado no dia 03 de setembro. O pagamento se dará a partir de 05 de agosto até 05 de setembro.

(Fonte: http://gitsufba.net/simsocial)